Blog / Soluções Naturais / ALERGIAS, PREVENIR E TRATAR


ALERGIAS, PREVENIR E TRATAR

#Dia Mundial das Alergias

8 Jul 2019 Publicado por DietMed

DietMed - ALERGIAS, PREVENIR E TRATAR
 

Com o chegar da Primavera, as flores desabrocham e tornam a paisagem bonita para ser contemplada. Contudo, este cenário torna-se assustador para as pessoas que sofrem de alergias.

 

Nesta estação o índice de pólen aumenta e despoleta os sintomas tão incomodativos típicos de uma reação alérgica como a vermelhidão nos olhos, acompanhadas de comichão, espirros, tosse entre outros.

 

Para além dos pólenes, os ácaros, fungos, pó, picadas de insetos, alimentos e até medicamentos podem desencadear uma reação alérgica.

 

A alergia é uma reação de hipersensibilidade mediada por mecanismos imunológicos. A alergia é uma resposta exagerada que surge normalmente minutos após o contacto com alergénios.

 

Alergénio é um antigénio, normalmente de baixo peso molecular, que desperta uma resposta com produção de anticorpos da classe E que interage com o sistema imunitário, sensibilizando-o numa primeira fase, em que ocorre a formação de anticorpos IgE específicos para que num contacto posterior ocorra ativação celular, libertação de mediadores vasoativos e infiltrado inflamatório.

 

As principais fontes de alergénios são de origem vegetal e animal. Dentro destas as principais fontes são exemplos os alergénios de origem vegetal não alimentar como os pólenes e o látex; de origem vegetal alimentar os cereais, frutos secos, frutos frescos e leguminosas; de origem animal não alimentar os ácaros, fungos, animais domésticos e de origem animal alimentar o leite de vaca, ovo, peixe e crustáceos.

 

Podem ser adotadas algumas medidas gerais para proteção ou minimização dos sintomas:

 

  • Conhecer os boletins de polinização.
  • Evitar as áreas de elevada polinização.
  • Minimizar a atividade no meio ambiente exterior quando se observa uma maior libertação de pólen. Nos períodos de chuva o número de alérgenos e a sua concentração no ar diminui. A gravidade dos sintomas aumenta com o vento, temperaturas elevadas e no tempo seco.
  • Reservar-se dentro de casa e manter as portas e janelas fechadas quando a contagem de polén for elevada ou em dias de vento forte, quentes e secos.
  • Usar filtros de partículas de grande eficiência nos automóveis.
  • Optar por superfícies facilmente laváveis. Preferir paredes lisas e pintadas, abolir cortinas, pavimento lavável sem tapetes, remover peluches, livros entre outros.
  • Aspiração muito frequente/ Limpeza do colchão.
  • Preferir lençóis, edredões e almofadas de fibras sintéticas para permitirem lavagens frequentes e a altas temperaturas, superiores a 60ºC.
  • Controlo da humidade: controlar a humidade relativa em valor inferior a 50% para reduzir o crescimento dos ácaros e fungos.
  • Controlo da temperatura: evitar aquecimento excessivo ou as ventoinhas que promovem um movimento nocivo de partículas no ar ambiente.
  • Aspirar frequentemente e utilizar máscara aquando deste processo. Pode-se utilizar produtos acaricidas de forma complementar.
  • Remover animais domésticos ou confiná-los a áreas restritas da habitação, evitando o quarto.
  • Reduzir o armazenamento prolongado em despensas, arrecadações, sótãos ou arrumos de alimentos como cereais, frutas, batatas e outros vegetais.
  • Cuidar e efetuar a manutenção regular da habitação, promovendo melhores condições de higiene.
  • Utilizar sistemas de filtração e purificação do ar.

 

Dr. Ricardo Leite

Farmacêutico e Diretor Técnico da DietMed