Blog / Saúde / A MEDICINA ORTOMOLECULAR


A MEDICINA ORTOMOLECULAR

Impacto nas doenças músculo-esqueléticas

11 Abr 2019 Publicado por DietMed

DietMed - A MEDICINA ORTOMOLECULAR
 

A Medicina Ortomolecular tem como objetivo básico manter o equilíbrio das moléculas que compõem o nosso organismo. O termo Ortomolecular provém de duas palavras gregas: orto = equilíbrio e molecular = moléculas.

 

A Medicina Ortomolecular está intimamente relacionada com o conceito de radicais livres, fenómeno que ocorre utilizando o oxigénio enquanto principal fonte para a sua formação. Os radicais livres trazem inúmeras desvantagens ao organismo quando a sua produção é superior à capacidade antioxidante natural do organismo. E nessas condições podem ocorrer situações patológicas desencadeadoras de situações degenerativas crónicas para os tecidos do corpo.

 

Por exemplo, o processo de envelhecimento está tipicamente acelerado como resultado da exposição a radicais livres, inflamação frequente ou crónica e exposição tóxica (como a metais pesados ou hidrocarbonetos industriais ou de agricultura). A reversão deste processo ou o seu abrandamento é um dos objetivos da terapia Ortomolecular, juntamente com o tratamento de problemas de saúde.

 

Nesse contexto, uma série de doenças podem ser moduladas através da terapia Ortomolecular, entre as quais: manutenção da saúde mental, saúde cardiovascular e saúde músculo-esquelética.

 

O Sistema Músculo-esquelético é composto pelo esqueleto, músculos, tendões, pelos ligamentos e por outros componentes das articulações. As principais funções deste sistema são proteger os órgãos que envolvem, sustentar, armazenar minerais, nomeadamente os de cálcio e potássio, permite o movimento do corpo e está envolvido na produção de elementos sanguíneos.

 

As perturbações do sistema músculo-esquelético são das principais causas de dores crónicas e de incapacidade física. Para além disso, estas perturbações são muito frequentes, principalmente ao nível dos ossos, dos músculos e das articulações, tendo repercussões na qualidade de vida. Portanto, deve-se intervir neste sistema para colmatar o desenvolvimento de perturbações.

 

Diversas patologias estão associadas ao sistema osteoarticular como a osteoartrite, osteoporose e artrose. A patologia osteoarticular é hoje uma das queixas mais frequentes, condicionando em maior ou menor grau de incapacidade física do individuo. As doenças osteoarticulares estão fortemente associadas ao envelhecimento, mas também afeta jovens devido a vários fatores como a obesidade cujo número de indivíduos obesas tem aumentando.

 

Os suplementos alimentares (incluindo vitaminas, minerais, ácidos gordos essenciais, aminoácidos, flavonoides, plantas, e fatores alimentares acessórios) são as substâncias mais valiosas e seguras para a prevenção e tratamento de doenças crónicas e agudas severas associadas com mortalidade, bem como problemas comuns de saúde que causam desconforto e incapacidade.

 

Os suplementos utilizados na terapia Ortomolecular, com interesse na saúde Músculo-esquelética têm de: ter capacidade de proteção osteoarticular, de melhoria da função motora e das alterações articulares osteoartríticas, proteger as articulações contra o stresse oxidativo, apoiar o metabolismo ósseo, bem como o desenvolvimento e manutenção das estruturas do esqueleto.

 

De entre as várias substâncias, destacam-se:

 

Harpago: os seus compostos ativos, os harpagosídeos, têm demonstrado em inúmeros estudos, efeitos analgésicos e antinflamatórios, nomeadamente na dor e rigidez osteoarticular.

 

Condroitina: é um dos glucosaminoglicanos (GAG) naturais compostos por açúcares alternados de ácido D-glucorónico e N-acetil-D-galactosamina. É um dos componentes principais da matriz extracelular. A condrosamina é o GAG mais frequente na estrutura do agrecano da cartilagem.

 

Glucosamina: é um amino-monossacárido existente no organismo humano. Desempenha um papel importante na bioquímica da cartilagem já que ela entra na composição das cadeias polissacáridas dos glicosaminoglicanos essenciais da matriz da cartilagem e do líquido sinovial. O seu mecanismo de acção consiste na síntese do glicosaminoglicano e, consequentemente, dos proteoglicanos, podendo aumentar este processo de biossíntese nas cartilagens articulares. Possui também actividade anti-inflamatória independente da ciclo-oxigenase, daí a sua excelente tolerância gastrointestinal. Tem também uma acção inibitória de enzimas destruidoras da cartilagem. Impede a formação de radicais oxidantes dos macrófagos que danificam os tecidos.

 

Dr. Ricardo Leite

Farmacêutico e Diretor Técnico da DietMed